Olá!
Há muito tempo ouço amigos leitores questionando "como assim você não leu 'O menino do pijama listrado?!'". A maioria dos que já leram indicam e ainda dizem "Di, se bem te conheço você vai chorar". Finalmente consegui fazer essa leitura e tive o prazer de ler essa edição especial de aniversário, com capa dura e ilustrações, além de uma "carta" do próprio autor (a primeira versão do livro foi lançada há 10 anos pela companhia das letras). Devo dizer que estou apaixonado pela história e fui conquistado pelo protagonista e seu amigo, e a amizade que nasce entre eles.

Bruno é o protagonista desse livro, e toda a história - narrada em terceira pessoa - se desenrola a partir do seu olhar para as coisas que acontecem ou existem ao seu redor. Com apenas nove anos o garoto vê sua vida mudar quando sua família se muda de Berlin para um lugar muito distante. O motivo? Seu pai é um oficial nazista promovido. Neste novo lugar onde está morando, Bruno descobre pessoas trabalhando no campo (ele vê da janela de casa), todas vestindo o mesmo tipo de roupa listrada, roupas que mais se parecem com pijamas. Ele não entende ainda quem são aquelas pessoas, mas sua curiosidade (algo comum às crianças), e o tédio que sente nessa nova realidade fazem com que ele se questione o que vê. O que ele não sabe é que aquele é um campo de concentração e as pessoas que ali trabalham são judeus escravizados. Bruno sabe que não deveria, mas resolve explorar o novo lugar onde mora. Dessa forma, ele acaba chegando aos arredores do campo de concentração e conhece Shmuel, um garoto que não condiz com a descrição denegrida que seu pai faz dos judeus. E assim, com tantas diferenças, Bruno e Shmuel se tornam amigos e os momentos que passam juntos, separados apenas pela cerca de arame, tornam os dias daquelas crianças mais suportáveis.

A narrativa foi construída de forma a segurar informações até o último segundo, então no final de cada capítulo vamos recebendo pequenas informações cruciais para a história e isso nos permite entender melhor como o pequeno Bruno descobre as coisas e sua maneira de enxergar o mundo, por exemplo. É interessante que o livro fala de um assunto impactante, mas vemos a história através dos olhos de uma criança de nove anos. Parece realmente que essa criança em questão está ali, narrando sua vida para nós. Vemos a delicadeza, a curiosidade e até a birra do protagonista de forma muito natural, muito bem escrita pelo autor. 

Apesar de nos envolver numa história cujo enredo se desenvolve num período de guerra, em que traz à tona também a questão da "solução final contra os judeus" e o Holocausto, a narrativa é leve e o foco maior está para como aconteceu a amizade entre Bruno e Shmuel. A beleza desse relacionamento é especial, embora nem sempre feliz. Mas o valor da amizade, o quanto ela pode nos salvar dos infortúnios e o quanto ela nos faz enxergar muito além está aqui.  
"Então Shmuel fez algo que nunca havia feito antes: ele ergueu a parte de baixo da cerca como sempre fazia quando o amigo lhe trazia comida, mas desta vez ele estendeu a mão por baixo e a manteve lá, esperando até que Bruno fizesse o mesmo. Os dois meninos apertaram as mãos e sorriram um para o outro.
Foi a primeira vez que eles se tocaram." (Pág.: 152-153)
Outro ponto positivo da narrativa é a construção do personagem Bruno. A personalidade do menino é muito bem desenhada, de forma que podemos perceber facilmente manias e aspectos de uma criança na idade do nosso protagonista. Além de inteligente, o garoto é também ingênuo em alguns momentos e observador. Um dos aspectos que torna a narrativa tão coerente com a proposta do texto e a escolha do protagonista é a constante repetição de frases, que Boyne coloca no texto, típica de crianças quando está diante de novas expressões e com isso utiliza sempre de forma repetitiva nos seus discursos. 

Nessa nova edição, em capa dura, Jonh Boyne conta com o belo trabalho de ilustração de Oliver Teffers, que com seus traços tão bem feitos e tão expressivos soube ilustrar de forma impecável essa história sensível e tocante. 


O menino do pijama listrado é um livro pequeno, mas que traz consigo uma carga de sentimentalismo muito grande. Traz um texto impecável, tocante, que capta toda a atmosfera que rege a vida de uma criança e o quanto a guerra afeta sua infância de alguma forma. A amizade entre os personagens que Boyne desenhou é um quadro lindo que merece ser apreciado.

XOXO,



19 comentários:

  1. Sou apaixonada por essa edição comemorativa.
    Li este livro há um bom tempo atrás e eu acho ele maravilhoso, tocante e, de certa forma, desesperador. Chorei como uma criança ao concluir a leitura.
    Mas ao ler sua resenha, não achei que você morreu de amores pela leitura... Estou errada?
    Bjs*.*
    MaH

    O que disse, Alice?

    ResponderExcluir
  2. Eu suuuper concordo com a personalidade do Bruno e de como a desenvolveram, achei apaixonante.
    Eu acho que já li esse livro umas 100x, mas não me canso de ler. Você gostou da leitura também?

    ResponderExcluir
  3. Bom dia!
    Eu não li o livro, apenas vi o filme,que me deixou chocada! Realmente é uma história q comove, que você custa a acreditar e aceitar o final, não é verdade? Parabéns pela resenha!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  4. Oi Diego!!
    Meu Deus, eu amo esse livro. Morri de chorar lendo e vendo o filme. Apesar de já ter o livro, eu quero essa edição porque está lindíssima!! Já vou colocar na minha lista da Black Friday rs
    Bjs
    https://almde50tons.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  5. Olá, Diego!

    Esse é m livro que a muito penso tenho vontade de ler, mas por falta de money, acabo nunca comprando. Vou ver se encontro ele na biblioteca, é tanta gente recomendando que uma hora a gente tem que se render kkkk
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Quero tanto ler essa história, gostei muito do filme e a minha irmã adorou o livro! Está na minha wishlist há muito tempo. Essa edição é muito bonita =)

    MRS. MARGOT

    ResponderExcluir
  7. Tenho muita vontade de ler e assistir ao filme, depois dessa resenha incrível o farei.

    ResponderExcluir
  8. Adorei a resenha. Só me aumentou a vontade que tenho de ler esse livro. A gente acaba sendo "esmagado" por tanta coisa para ler, que não dá conta de tudo e deixa escapar muita coisa. Eu mesmo tenho diversos livros em casa me esperando para serem lidos. Esse eu ainda não tenho, mas talvez quando eu o comprar ele passe na frente. Imagino que para mim ele será tão impactante quanto foi ler o "A menina que roubava livros" (que também trata da Segunda Guerra a partir da perspectiva de uma criança). Esse livro e o primeiro conto do Corpo de Baile (ou do Manuelzão e Miguilim, que é onde está a história, depois que o Corpo de Baile foi desmembrado em três livros) foram as duas únicas leituras que me fizeram chorar.
    Abração!
    https://teofilotostes.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá... Excelente resenha de um excelente livro! Assisti o filme - que é incrível - mas ainda não li a publicação que deu origem. Assim que puder, vou procura-lo, com certeza!

    Grande Abraço!

    ResponderExcluir
  10. Olá, Diego.
    Eu li esse livro tem uns bons anos já. E ele está entre meus dez favoritos de toda a vida. A narrativa ingenua me fez amar a história. Mesmo ela sendo tão triste, é impossível não se apaixonar pelos garotos. E os títulos dos capítulos foram uma atração a parte.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  11. Oi, Di. Nunca li o livro mas assisti o filme e me emocionei muito, chorei até demais e talvez seja por isso que eu nunca tenha me obrigado ao ler o livro, reviver toda a dor que esses dois vão passar me machucou, me senti muito tocada. Mas confesso que esta edição está linda, deu até vontade de comprar.
    Beijos
    http://www.leitoraencantada.com

    ResponderExcluir
  12. Oi Dih, uma vergonha dizer que nunca li esse livro, que é já é um clássico! Imagino que a carga emocional seja bem grande e essa capa dura tá lindíssima!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  13. Oi, Di!
    Comassim 10 anos do livro já???? :OOOO
    Eu ainda vou ler esse livro. Pelo que já vi dele, tem umas vibes de A Menina que Roubava Livros, que amo!
    Beijos
    Balaio de Babados
    Participe das promoções em andamento e ganhe prêmios maravilhosos

    ResponderExcluir
  14. Essa edição em capa dura está linda de mais. Eu nunca li o livro, só assisti o filme e chorei muito - tenho até medo do livro me fazer chorar ainda mais kkk.
    E pelo que vi pela foto, a diagramação do livro está linda também *-*

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  15. Oi, Di! Eu achei essa edição maravilhosa demais! Queria muito! Mas acho essa história muito triste, então meu coração mole não aguenta ler isso não rs Adorei as fotos e as resenha! <3

    Abraço

    http://tonylucasblog.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  16. Oi Diih
    Faz um tempinho que eu li este livro, e na época eu terminei de ler e assisti ao filme, e lembro que chorei horrores. Amei esta nova edição.

    Beijinhos
    http://diariodeincentivoaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  17. Oi, Diego.
    Eu soube dessa edição recentemente e já quero ela pra mim. "'O menino do pijama listrado" é uma das minhas histórias favoritas e que me emocionou bastante. Fiquei extremamente tocado com o desfecho do livro.
    Sua resenha tá maravilhosa :)

    Abraço!
    http://tudoonlinevirtual.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  18. Oi, Diego! Tudo bem? Essa história é emocionante. Que linda essa edição especial. Parabéns pela aquisição.

    Hida,

    www.blogdahida.com

    ResponderExcluir
  19. Li esse livro há alguns anos atrás, depois de ter assistido ao filme. A emoção que senti foi a mesma, talvez até pior porque eu já sabia o que ia acontecer e sofrer tudo de novo! Essa nova edição está maravilhosa!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir

"Agora que você já leu, que tal participar deixando seu comentário?"